Inteligência Emocional: para que serve?

3 min April 12, 2022
Educação

Você já se perguntou quais são as características que fazem com que uma pessoa tenha uma carreira de destaque?

Se você pensou em nível de conhecimento e em estudos formais, saiba que essa é apenas a primeira parte da resposta. As habilidades conhecidas como hard skills são aquelas de cunho técnico, que abrangem o conhecimento que pode ser comprovado por meio de diplomas, cursos e estudos. Em outras palavras, podemos conceituá-las como as aptidões técnicas de um profissional.

Cursos de graduação e de pós-graduação tradicionais focam no ensino das hard skills, tais como:

  • conhecimento em uma língua estrangeira;
  • habilidade para executar um cálculo matemático;
  • diploma que certifica o domínio de um software;
  • habilidades ligadas à informática.

Ainda que esses fatores tenham peso, o mercado procura por profissionais que vão além da competência técnica. O que realmente faz a diferença é seu nível de inteligência emocional, ou seja, a habilidade para identificar e monitorar suas emoções pessoais e as emoções dos demais.

Comportamentos e atitudes que fazem a diferença

 

Retomando a pergunta no início deste artigo, as soft skills são a segunda parte da resposta. Associadas a traços comportamentais e a habilidades sociais, essas competências são mais difíceis de serem quantificadas e assimiladas, mas são cada vez mais procuradas no mercado de trabalho.

As empresas estão procurando por uma grande compatibilidade entre os seus valores e os padrões de comportamento dos candidatos. Por isso, quanto mais inteligência emocional tem uma pessoa, melhor será seu desempenho na carreira. É o que a pesquisa de Daniel Goleman, doutor em Psicologia pela Universidade Harvard, indica. Em seu trabalho, Goleman estabeleceu 12 características essenciais para que as pessoas alcancem seus objetivos de desenvolvimento e tenham êxito em suas jornadas de sucesso:

 

  •  Autoconsciência emocional;
  • Autocontrole emocional;
  • Adaptabilidade;
  • Orientação ao sucesso;
  • Visão positiva;
  • Empatia;
  • Consciência organizacional;
  • Influência;
  • Orientação e tutoria;
  • Gestão de conflitos;
  • Trabalho em equipe;
  • Liderança inspiradora.

 

Uma pessoa que estuda ou que é formada em Engenharia, por exemplo, precisa de uma formação que combine hard e soft skills, pois as habilidades não se medem apenas pelo seu coeficiente intelectual, mas pela capacidade de identificar e monitorar suas emoções pessoais e dos demais.

E para todos os momentos do seu crescimento profissional, você pode contar com os nossos cursos de pós-graduação. Com nossos cursos, além de você obter um diploma de peso, desenvolverá também capacidades relacionadas à solução de novos desafios e problemas complexos de sua profissão, tais como o raciocínio lógico apurado, resiliência e capacidade analítica e cognitiva.

Caso você queira saber mais como desenvolver sua inteligência emocional, em nosso Blog desenvolvemos um conteúdo sobre: Hard Skills e Soft Skills: entenda as diferenças e a importância de ambas na pós-graduação

Blog da Pós-Graduação